Ao vivo Rádio Atual FM
14.6 C
Concórdia

Operação Carne Fraca: 950 avicultores ligados à unidade da BRF de Capinzal devem ter prejuízos

BRF-2-1Capinzal – A suspensão das exportações de frango da BRF para a União Europeia, primeiro pelo Ministério da Agricultura, depois pelos próprios europeus, devem causar perdas de R$ 4,5 milhões para os 950 avicultores de 16 municípios ligados à unidade de Capinzal, onde três mil trabalhadores entram em férias coletivas a partir desta segunda-feira (07), pelo período de um mês.
A conta é do presidente da Associação dos Avicultores e Suinocultores do Vale do Rio do Peixe, Alcides Borges, e do vice-presidente da Associação dos Produtores e Integrados de Ovos Férteis, Fernando Rosso.
Eles calcularam que, como os 950 avicultores têm cerca de 1,4 mil aviários — com faturamento de cerca de R$ 7 mil —, e a empresa vai bancar um valor de R$ 3,7 mil, que é o custo de manutenção dos galpões e funcionários — a perda vai ficar em pouco mais de R$ 3,2 mil por unidade. Somados, o total chega a quase R$ 4,5 milhões em dois meses.
Somente na produção de Fernando Rosso, que tem 29 aviários em uma granja de ovos férteis e seis granjas de frangos, deixarão de circular R$ 500 mil em dois meses.
— Tenho 30 funcionários que recebem por produção e vão receber cerca de R$ 40 mil a menos por lote. O gasto de energia que é de R$ 15 mil por granja cai para R$ 2 mil. Vamos deixar de comprar lenha e gás de nossos fornecedores e também outros investimentos que viriam do lucro da produção não serão feitos — explicou Rosso.
De suas seis granjas, apenas a produção de ovos continua, onde parte da produção foi deslocada para atender outras unidades. Mas cinco granjas estão vazias e os funcionários trabalham apenas na parte de desinfecção e preparação dos aviários.
Rosso só lamentou que os produtores fazem um esforço muito grande, onde visitas externas são proibidas para evitar contato com as aves, e as importações acabam suspensas.
Questionamentos
Os líderes das entidades questionaram a estratégia do Ministério da Agricultura, que suspendeu as exportações preventivamente na expectativa de evitar o embargo europeu, após ações da Polícia Federal.
Na avaliação do presidente da Associação dos Avicultores e Suinocultores, Alcides Borges, é preciso ação para garantir o sistema produtivo. Ele afirmou que, sem a agroindústria, Capinzal, que tem 22,5 mil habitantes, seria um município com menos de dez mil habitantes.
— Esperamos que o governo seja mais coerente nas decisões pois essa é uma cadeia muito grande, que envolve 950 integrados, quatro mil funcionários e pelo menos 50 mil pessoas indiretamente. Existem os funcionários dos avicultores, os transportadores, os mecânicos e o comércio que gira em torno da renda da agroindústria. Pelo menos houve uma sensibilidade da empresa em bancar as parcelas de financiamento e um valor de manutenção das estruturas — afirmou Borges.
O valor é de R$ 88 por aviário convencional por dia e, R$ 264 para estruturas mais modernas, o de sistema “dark house”, que são totalmente fechados e climatizados.
Prefeitos estão preocupados
Os prefeitos dos 16 municípios de abrangência dos integrados da BRF também estão preocupados. O prefeito de Capinzal, Nilvo Dorini, disse que em 2016 a agroindústria representou 65% do valor econômico adicionado dos municípios, de R$ 609 milhões de um total de R$ 936 milhões. No ano passado, em virtude da crise econômica e queda nos preços da carne, o percentual caiu para 58%, em valores, totalizando R$ 490 milhões de um total de R$ 834 milhões.
— No ano passado já foi ruim e nesses primeiros três meses foi pior ainda, isso nos traz bastante preocupação pois vai refletir na arrecadação do município — projetou o prefeito. (NSC Total)

Participe da comunidade no Whatsapp da Atual FM e receba as principais notícias do Oeste Catarinense na palma da sua mão.

*Ao entrar você está ciente e de acordo com todos os termos de uso e privacidade do WhatsApp

Notícias Relacionadas

Em Alta