Ao vivo Rádio Atual FM
12.4 C
Concórdia

Direção da Casan quer tonar agência de Concórdia independente da gerência de Chapecó

Concórdia – Uma das prioridades do governo de Rogério Pacheco e Edilson Massocco é a questão do abastecimento de água do município. Isso foi proposto no Plano de Governo e tem sido um dos maiores questionamentos da população e imprensa ao novo governo nestes primeiros dias de trabalho. Com a intenção de buscar uma solução a antiga problemática, que se arrasta por décadas, o prefeito Pacheco deu primeiro passo ao fazer cobranças mais incisivas ao diretor presidente da Casan, Valter José Galina.
Um encontro na manhã desta sexta-feira, 13, em Florianópolis, já rendeu alguns encaminhamentos, que não se tratam das mesmas promessas e compromissos assumidos pela estatal que acabaram ficando na “conversa”. A grande novidade é que a gerência de Concórdia irá conquistar maior autonomia, não dependendo mais da Regional de Chapecó.
Pacheco conta que a frase utilizada por Galina é de que “Concórdia precisa cortar o cordão umbilical que a liga a Chapecó”. Isso direcionaria todas as demandas e prioridades diretamente com a Companhia em Florianópolis, evitando caminhos mais longos e uma solução mais imediata para as urgências. “Este projeto de independência de Concórdia está sendo analisado pela Casan e em breve deve ser colocado em prática”, informa Pacheco, ressaltando que neste sentido, Concórdia já poderá ter êxitos.

“Cobrei um encaminhamento imediato para a melhoria na prestação do serviço e obtive um bom retorno. Galina já solicitou ao gerente operacional de Santa Catarina, Rodrigo Maestri, para que esteja no município na próxima semana. O objetivo será avaliar a situação e providenciar a instalação de bombas na nova subestação da Casan, que já está com a parte elétrica pronta. Isso, segundo eles, já evitaria a maioria dos problemas que geram a falta de água”, relata o prefeito.

O gerente operacional deverá permanecer no município por dois dias e fará contato direto com a Administração Municipal. “Ele nos repassará a real situação e os possíveis encaminhamentos a serem adotados para a solução do problema”, destaca Pacheco, alegando que este primeiro momento tende a ser de diálogo, mas que os efeitos terão que surtir, caso contrário será preciso tomar outras providências.
Em fevereiro, Valter Galina deverá estar em Concórdia para tratar do projeto de independência e avaliar se estas primeiras providencias colaboraram efetivamente para a melhoria no abastecimento. (Informações e texto ASCOM/Prefeitura de Concórdia)

Participe da comunidade no Whatsapp da Atual FM e receba as principais notícias do Oeste Catarinense na palma da sua mão.

*Ao entrar você está ciente e de acordo com todos os termos de uso e privacidade do WhatsApp

Notícias Relacionadas

Em Alta